Início Destaque Número de vítimas da chuva em Minas sobe para 44 segundo Defesa...

Número de vítimas da chuva em Minas sobe para 44 segundo Defesa Civil do estado

0

Por G1 Minas — Belo Horizonte

No fim da tarde deste domingo (26), a Defesa Civil de Minas Gerais divulgou novo boletim sobre as chuvas que atingiram o estado nos últimos dias. Até o momento, 44 mortes foram confirmadas no estado.

A cidade com mais mortes confirmadas é Belo Horizonte: 13; Em toda região metropolitana, 26 pessoas morreram.

Mais cedo, o órgão trabalhava com 14 vítimas em BH, mas às 20h50 deste domingo o boletim foi corrigido. BH passou a ter 13 óbitos confirmados e o número de vítimas em Contagem subiu para dois.

De acordo com a Defesa Civil, 19 pessoas continuam desaparecidas. Doze pessoas ficaram feridas. Minas Gerais registra 3.354 desabrigados e 13.887 desalojados.

Mortes causadas pela chuva em MG — Foto: Arte/G1

O governador Romeu Zema (Novo) destacou nesta manhã que, no momento, a prioridade é a ajuda humanitária e disse que obras emergenciais serão feitas assim que for possível, devido as condições do tempo. Já o ministro Gustavo Canuto disse que os atingidos pela chuva devem ter antecipação do Bolsa Família e do saque do FGTS. E que o governo federal vai se empenhar para agilizar estas medidas.

Belo Horizonte

Bombeiros trabalham na Vila Bernadete, em BH. Sete corpos foram localizados na região. — Foto: Elton Lopes / TV Globo

Cinco corpos foram localizados neste domingo na Vila Bernadete, na Região do Barreiro em Belo Horizonte. Dois corpos foram localizados no sábado. Na região, sete pessoas morreram no total: uma mãe e três filhos; e um casal e um bebê. Bombeiros vão finalizar o resgate e entregar a área para a perícia da Polícia Civil.

A Prefeitura de BH afirmou que as buscas foram encerradas no Jardim Alvorada, Região da Pampulha. Cinco pessoas de uma mesma família morreram no local, os corpos foram resgatados. A administração municipal diz que a família havia sido retirada da área de risco pela Defesa Civil e levada para um abrigo. Depois, as vítimas voltaram para a casa e na noite de sexta ocorreu o desmoronamento que vitimou as 5 pessoas.

Mais um corpo foi encontrado na beira de um córrego. A vítima ainda não foi identificada.

Nesta tarde, o prefeito de BH, Alexandre Kalil, pediu atenção aos moradores. Segundo ele, ainda há riscos de desabamentos na cidade.

Betim

Já em Betim, no bairro Jardim Teresópolis, a avó de crianças feridas em um desabamento deu uma entrevista muito emocionada à TV Globo. Val Reis criticou a demora do Corpo de Bombeiros para chegar ao local e exaltou o trabalho de voluntários do Jardim Teresópolis.

“A comunidade do Jardim Teresópolis, Beco Fagundes, foi essencial para meus parentes estarem vivos hoje porque foram os primeiros a chegar. Quero agradecer a bombeiro civil que chegou também…[…] O bombeiro [Corpo de Bombeiros] demorou demais. Se a minha família dependesse dos bombeiros eles tinham morrido todos. Demorou demais. A gerência do Corpo de Bombeiros gente, vão pensar mais aí na periferia. O povo na Savassi [bairro na Região Centro-Sul de BH] não tá caindo casa não, mas nós na favela tá desmoronando. O povo está morrendo, e a corporação não chega”, afirmou.

Em nota, o Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais esclareceu que, “considerando o volume descomunal de chuva constante que se abateu sobre a região metropolitana de Belo Horizonte nos últimos dias, mais de 148 chamados simultâneos foram registrados em nosso sistema operacional, somente na região de Betim. Bombeiros militares estavam em condições para se deslocarem para a Vila Teresópolis, mas recebemos a atualização de que a situação já estava sob controle e nossos militares seguiram para outra ocorrência na mesma região. Nas últimas 48 horas, atuamos em mais de 6.000 ocorrências relacionadas ao período chuvoso”.

A Secretaria Adjunta de Segurança Pública de Betim informou que a Defesa Civil municipal recebeu, de 07h de 24/01/20 até as 14h de 26/01/20, 709 chamados. Ao todo, foram registradas 326 pessoas desalojadas, acolhidas em casas de amigos e familiares. Nos pontos de apoio da prefeitura, montados para abrigar as famílias de Betim, há 94 pessoas.

Donativos

Defesa Civil, Servas e Cruz Vermelha fazem campanha para receber doações em Minas

A Defesa Civil, Servas e Cruz Vermelha fazem campanha para arrecadação de donativos para as mais de 2.500 pessoas desalojadas e 911 desabrigadas em todo o estado após as chuvas que já duram quatro dias consecutivos.

Os pedidos são para doações de materiais de limpeza e de higiene pessoal, colchões, fraldas e alimentos não perecíveis.

As doações devem ser entregues nos seguintes locais:

  • Ponto de apoio da Cruz Vermelha: Av Úrsula Paulino, 1555, Bairro Betânia
  • Sede da Cruz Vermelha: Alameda Ezequiel Dias, 427, Centro
  • Servas: Avenida Cristóvão Colombo, 683, Funcionários

Recorde de chuva

O Inmet afirmou que Belo Horizonte teve o dia mais chuvoso da história da cidade, desde o início da medição climatológica há 110 anos. Em 24 horas, de quinta a sexta-feira (24), o acumulado de chuva chegou a 171,8 milímetros em Belo Horizonte.

Desde quinta-feira (23), a chuva atinge a Grande BH. Nesta sexta-feira na capital, desde a madrugada, os transtornos são inúmeros: córregos e ribeirões transbordaram, vias tiveram que ser interditadas e áreas foram atingidas por deslizamentos de terra. Durante a noite, mais uma vez houve chuva forte, trazendo novos problemas na cidade.

Acumulado de chuvas de MG em Janeiro — Foto: Arte G1

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui